- OBRIGADA e Feliz Natal!!!!


“O Natal devia ser todos os dias!” dizem... sim dizem, mas não é, por isso aproveitem esta quadra que no fundo é a mais colorida do ano, é a que mais nos aquece os corações e que mesmo por pouco tempo trás um pouco do bom ou do melhor que as pessoas têm para dar. Se uns são falsos, outros não. Se uns são consumistas, outros não. Não pensem no que é falso, não pensem no negativo. Pelo menos nestes dias dêem-se ao luxo de aproveitar tudo, mesmo que seja pouco. O vosso pouco poderia ser o muito de muita gente, agarrem-se bem ao que têm porque não devemos dar nada por garantido.

Infelizmente, eu tenho muitos problemas por resolver mas também tenho: o amor incondicional da minha mãe, um pai e um irmão que adoro. Tenho uma cadela que fica feliz como ninguém quando me vê. Tenho a minha mana Bela que me ajuda a levantar a cada vez que eu tropeço na vida. Tenho os meus amigos que tanto me têm ajudado de uma forma ou de outra na minha gravidez:
A Sílvia que me emprestou as coisinhas dela de grávida, a prima Susana que facultou imensas coisas da Magui e da Mada e juntamente com a sua família são o que me resta da minha família de sangue, a Cristina que onde quer que vá compra sempre uma prendinha à Flor (além de me trazer laranjas do Algarve e bolinhos de manha). Tenho também a Belinha que marcou e ficou na minha vida, e mesmo a Flor não sendo neta dela de sangue como “quase” poderia ter sido, enche-me de mimos e à minha menina de prendinhas. Tenho a minha amiga de infância Célia que também tem sérios problemas e que, como eu, vai tentando resolver um de cada vez e juntas sempre nos vamos rindo das situações (também porque tudo nos acontece). E tenho a minha amiga Ruth que, apesar de se ter mudado para o Algarve, mantém sempre o contacto. Tanto que ela me ajudou no início da minha gravidez em problemas que passam pela cabeça de poucos, esteve ao meu lado, apoiou-me e sempre respeitou as minhas escolhas mesmo não indo de encontro ao que ela achava ser o melhor para mim, e sei que dê as “cabeçadas” que der ela vai estar sempre lá...pronta para me “tratar da cabeça” e a respeitar seja o que for que eu decida... mesmo que não concorde E é verdade, a tia Ruth arranjou à Flor o remédio das cólicas vindo directamente de Londres (espectáculo!!!).

E sabem uma coisa? Dou graças por ter todas estas pessoas na minha vida (e outras mais) e poder ligar-lhes em qualquer altura e dizer-lhes que as AMO. Isso é uma verdadeira prenda que muitos não sabemos dar valor, acho que só quem já perdeu alguém querido para a morte sabe a que me refiro. E se usualmente nos esquece-mos disso ora cá está... pelo menos no Natal acabamos sempre por mandar um sms ou um e-mail que de uma forma mais, ou menos, engraçada quer dizer isso mesmo...amo-te e és importante para mim.

Fui roubada pelo meu ex-marido, perdi o meu advogado, não tenho o dinheiro que preciso, não comprei tudo o que gostaria para a minha filha, não pude comprar prendas aos meus amigos, fui multada, tenho um carro por arranjar.... mas sabem que mais? Nao quero saber! Pelo menos nesta quadra eu vou apenas:
- pensar em todas as pessoas boas que tenho na minha vida,.
- sentir o calor das iluminações de Natal em casa e na rua
- dar beijinhos aos meus pais
- mandar o maior numero de sms possível aos meus amigos
- comer muitos doces de Natal
- aproveitar a minha casa
- olhar para a minha barriga a ver as ondinhas de quando a minha filha mexe lá dentro
- aproveitar o frio para me aconchegar à noite no calor do colo do pai da minha filha (aproveitar enquanto ele é só meu)

É isso, durante estes dias não vamos pensar em problemas, vamos aproveitar o que temos, por nós e pelos que não têm absolutamente nada, Eu cá vou sorrir para toda a gente mesmo que não me sorriam (que é o mais normal mas...não quero saber), de certeza que no dia 26 os problemas vão cá estar todinhos à minha espera, tenho muito tempo depois para me preocupar com eles.

Não sei se consegui vos transmitir alguma coisa com esta longa mensagem, eu gostava de pensar que sim, pelo menos esforcei-me.


Quero agradecer muito a todos o meus amigos que já aqui foram referidos, mas também aos que não foram (não posso falar de todos né?), quero agradecer a todos visitantes do meu blog (os que conheço e que não conheço) por se darem ao trabalho de ler a minhas aventuras, aos que votaram e aos que nao votaram. Também um agradecimento e um beijinho muito grande a todos os meus amigos que me acompanham diariamente no messenger e que acabam por ser muitas vezes a minha companhia em especial a Gemma, a Deltina e o maluco do binu Viana (o Tio Binú que me faz rir).

Um muito obrigado a todos e desejos que sejam felizes neste Natal e SEMPRE.

- Eh láááá, tá gordaaaa!!!

Ecografia das 32 semanas - Na terça-feira lá fomos, eu e o papá Pratas, ver a nossa menina. O meu sentimento era um misto de medo e ansiedade(isto de ser mae preve-se que nao vá ser nada fácil)... o papá Pratas estava na descontraçao, como lhe é caractristico. Eu estava cheinha de medo que se detectasse algum problema na princesa, é que já nao consigo conceber a minha vida sem ela. Sim, é uma parvoice estar sempre a pensar no pior, mas acreditem, nesta altura é impossivel evitar esses sentimentos.

Nesse dia chovia que era uma coisa parva, do vento nem vou comentar (tanto tempo a esticar o cabelo para ir no meu melhor e afinal tive de apanhá-lo), esteve péssimo. O papá Pratas veio almoçar com as suas princesas e embora a ecografia estivesse marcada para as 17h45 eu queria ir o mais cedo possível e disse-lhe para me vir buscar às 16h00 (mas claro ele pensava que a eco era às 17h00). Por mim tinhamos dormido lá à porta do consultório, mas como eu tinha de trabalhar no dia seguinte optei por esta soluçao, ir o mais cedo que me fosse possível.

Com o temporal que fazia sentir até foi bom, fomos nas calmas via A2. O papá Pratas ia com uma paciência de santo, pois de 10 em 10 minutos eu perguntava: "achas que está tudo bem com a nossa nina?", e pior é que eu sabia que isso nao era bom nem para mim nem para ele, mas era inevitável. Depois como se isso nao bastasse meti na cabeça que podia muito bem afinal nao ser uma menina, e se naquela ecografia mostrasse o que na outra poderia nao ter mostrado bem?????

Pois, o papá Pratas já estava a ficar desorientado com as minhas dúvidas e ansiedades, mas aguentou-se bem!!! Quer dizer, aguentou-se até chegarmos ao consultório por volta das 17h00, mas quando eu lhe disse que a ecografia era só às 17h45 aí ele ia rebentando (mas voltou a aguentar-se). Claro que nao serviu de nada ir mais cedo, na verdade já passava das 18h00 quando fomos chamados.

Na sala de espera lá ficámos nós...à espera!!! Entretanto apareceu lá uma menina que se veio sentar perto de nós, chamava-se Beatriz (também é um nome bonito), tinha dois anos e muito estilo. Além de bonita era uma simpatia. Meteu-se comigo e acho que ficámos amigas. Eu até pensei que a menina tinha mais idade porque falava imenso e percebia-se praticamente tudo o que dizia, afinal nao só tinha apenas dois anos, como tinha feito aniversário à pouco tempo. Achei fascinante, porque nao conheço nem conheci ninguém com aquela idade a falar tao bem. Acho que ela também gostou de mim e chamava-me, imagine-se, princesa... era uma ternurinha.

Bem, e depois de esperarmos o que nos competia lá fomos chamados. Finalmente tinha chegado a hora, entrámos e eu já levava a barriga de fora para nao perder tempo. O médico fez as perguntinhas do costume e eu, claro, sempre com os olhos postos na maquinazinha na mao dele com a tal vontade de a agarrar e começar logo a ecografia. Contive-me e passado uns segundos começámos.

Ena que grande que ela está, o médico lá falava mas eu nunca percebi se ele fala para mim ou para a enfermeira que tira as notas, eu acho que é um misto...mas torna-se difícil entender quando é para mim. Assim ele falava, falava e eu ia perguntando "isso é normal?", "isso é normal?" e só me calei quando ele disse "é uma rapariga"...o meu coraçao encheu-se de alegria (que ninguém me leve a mal, mas eu estou tao feliz por ser uma menina) acho que até deixei de respirar, afinal confirmava-se e desta vez nao houve espaço para dúvidas ( e da outra se calhar também nao), a minha filhoca está de cabeça para baixo e tinha as pernocas abertas. Lá ficámos cheios de certezas e com umas belas "fotos" da sua parrequinha.

Lá o médico continuou a relatar, eu continuava sem entender pêvas do que ele dizia e claro continuava a perguntar: "isso é normal?", "isso é normal?", depois o Sr. Doutor virou-se e disse: "está com um peso de 2 kilos e sessenta" e eu perguntei espantada: "quem??? ela????" o médico olhou para mim com cara de "pois claro, quem havia de ser???" (pois claro, eu nao era concerteza) mas respondeu apenas: "sim, ela" e eu disse: "Eh láááá, tá gordaaaa!!!" e foi risota geral naquela sala. Mas sabem? ao contrário da outra pergunta esta afirmaçao até tinha razao de ser, é que o peso normal para esta altura é 1,6 ou 1,8 Kilos. Bem, mas o Sr. Dr. disse logo para nao me preocupar, que realmente nao era o usual, mas que aquele era um muito bom peso para a bebé ter já (claro que ele ia dizer isso, nao é ele que vai ter o parto!!!). Depois dessa noticia já nao perguntei mais nada tal nao era o meu espanto. Só no fim perguntei se estava TUDO bem ao que ele respondeu que graças a Deus estava TUDO muito bem.

E pronto lá saímos nós felizes e contentes com a nossa gordinha, ainda conseguimos ver a carinha dela e que grandes bochechas que ela tem!!! (Pudera, com mais de 2 kilos, nesta altura, é bom que tenha umas belas bochechas).

- Doces versus Balança


Já fui à consulta, já enfrentei a balança e...não foi critico (uuufffff), aumentei apenas os normais 2 quilos. O pior é que não sei o que se passa comigo, só me apetece comer doçarias (e não só), logo agora que estamos tao perto do Natal não me estou a conseguir conter. A ideia era só comer doces no Natal, mas assim quando chegar à consoada já estou uma bola. Costumava beber muita água, mas agora com o frio não consigo beber tanta como deveria.
=================================================
A minha barriga continua liiinda, cresceram-me uns malvados pêlos mas mesmo assim tá lindona toda empinadinha. Agora soube que a menina tem de descer para nascer, e eu na minha ignorância a torcer para ter a barriga empinada até ao fim (isto quem não sabe é como quem não vê). Penso que a minha nina já está de cabeça para baixo, mas anda aqui a querer dar a volta (ó filhoca, isso agora não é boa altura para mudares de posição), já por duas vezes que a apanhei a tentar mudar de posição. Cada dia é mais difícil arranjar uma posição para estar sentada e à noite sou assolada, não só pelo desconforto, como pelas dores das costas e barriga que de vez equando também fica dura (rija mesmo).
=================================================
No sábado fomos a casa da prima Susana visitá-la mais às primas Magui e Mada, e que lindas que elas estão. Se a Magui já era linda, a Mada está um sonho. Realmente a prima Susana e o priminho Joao Pedro têm muito jeitinho para fazer crianças (pena que se queiram ficar por aqui, o mundo fica a perder). A prima Magui já está menos tímida, já dá beijinhos, gosta de tirar fotos e já conversa muito. A Mada acorda com um sorriso de orelha a orelha, tem tanto de linda como de divertida, adora mostrar as suas favolas. É simpática para todos, vai ao colo de toda a gente...é uma maravilha. Nao vai à bola com iogurtes, mas bolinhos é com ela. A Florzinha acabou por "herdar" por uns tempos algumas coisas que eram das primas e que vao poupar muitos euros ao papá e à mama. Passámos alí um bocadinho muito agradável, acabámos a beber cházinho e a tirar dúvidas sobre partos e coisas do género. Foi pena o papá não ter ido, mas ele coitado trabalhou toda a noite (non stop) e de manha ainda foi fazer um gratificado até às 13h00, quando chegou a casa comeu e caiu para o lado, literalmente.
=================================================
No Domingo, aproveitando que o papá estava de serviço, fomos visitar a querida amiga Belinha (Mamuska) e o Tónio (Papusko), que agora passaram a ser Vovuskos. A distancia de Kms entre nós cada vez é maior e por isso nao nos vemos tanto como gostaria, mas no coração nada mudou. Eles também não mudaram nada (graças a Deus), continuam lindos e maravilhosos como poucos. Pusemos as saudades e a conversa em dia. Ainda conseguimos ver o Pedro que...também continua o mesmo, felizmente. Às vezes a vida dá-nos estes presentes de termos estas pessoas a passarem pela nossa vida e felizmente ficaram na minha, quero acreditar que para sempre.
Voltámos para casa carregadas de prendinhas para a Florzinha (está cheia de sorte...e coisas lindas), e como não podia deixar de ser carregaram-nos também com comidinha (hhhhmmm kabooom).
=================================================
O Pedrocas também nos ofereceu uma quantidade de coisas que eu pessoalmente adoro de paixão, são cremes e coisas para ficar mais bonita, uns são para a Florzinha mas eu também tive direito a muitas coisas...e que jeitaço que me dão. Vim de lá tao contentinha, tao feliz...senti o Natal como sentem os pequeninos na consoada quando recebem as prendas. Não sei se aguento. Agora adoro ver a casa de banho com todas aquelas embalagens, cheia de produtos super-chiques. E já pus alguns na mala para a maternidade, quero estar no meu melhor para as fotos, não me parece nada bem ir ter uma filha linda e aparecer feia.
=================================================
No próximo dia 18 vou fazer a ecografia das 32 semanas (iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii), essa é outra prenda no meu sapatinho. Mal posso esperar para ver a minha mina. O papá Pratas também vai. Ele gosta de ir às ecografias, e não me posso queixar, ele tem ido comigo a todas as consultas, mesmo as de rotina. Na última a Sra. Doutora decidiu presenteá-lo pelo seu bom comportamento e deixou chamá-lo para ouvir o coraçãozinho da pimpolha pelo doppler. Ando ansiosa e só peço a Deus que esteja tudo certo com a pipoca, é o único contra das ecografias é esta ansiedade que gera.
=================================================
E pronto, vou parar hoje por aqui...vou comer uma azevia de grão que comprei ontem e está ali a chamar por mim...RAIOS, não sei quem ensinou o meu nome aos ordinários doces que não páram de se meter comigo... ai, não sei se aguento!!!