- ... e assim nasceu a mais bela FLOR



Estávamos a 19 de Janeiro, era sábado, a barriga pesava e eu estava longe de conseguir fazer a limpeza que a casa estava a precisar. Sentia de novo uma moinha no rim direito (maldita cólica renal), normalmente era o sinal que vinha aí dor a sério, um Benuron goela a baixo e ainda consegui limpar a cozinha toda... depois disso fui descansar.

Janeiro 20 - Tinha chegado o domingo, acordo mais uma vez a contar o tempo que falta para nascer a minha pimpolha, apesar de já estarmos na recta final parece faltar uma eternidade, mal sabia eu que nao faltava assim tanto. Começou novamente a moinha a dar sinal, mais um Benuron goela a baixo e... lá consegui limpar a casa de banho mas... o dito Benuron nao estava a fazer efeito. Fui deitar-me de seguida já muito "lesionada". Conforme o tempo passa a dor piorava e... tomei outro Benuron. Passaram-se três horas e a dor começava a piorar de novo, tomo entao o Tramal que me receitou o médico para SOS, mas passar a dor é que nada... já nao podia tomar mais nada. Liguei para a linha Saude 24 e mandaram-me ir ao Hospital uma vez que a medicaçao nao estava a fazer efeito e as dores teimavam em piorar a uma velocidade vertiginosa.

Apesar de residir relativamente perto do Hospital, já cheguei lá num estado lastimável. As dores nao se aguentavam, eu chorava que nem uma desalmada e depois de um CTG disseram-me que as dores estavam a provocar contracçoes muito fortes e poderia ter de lá ficar. Depois de medicada, passaram as dores e as contracçoes, lá me mandaram para casa com a condiçao de voltar caso as dores voltassem daquela forma. E assim foi, duas horas depois, já na madrugada de segunda feira 21 de Janeiro, lá estava eu com dores que nao se aguentavam. Mais um CTG, mais medicaçao na veia e uma camisinha de dormir para ficar internada.

O que restava da noite foi tranquila, pudera, estava com medicaçao no soro.Nessa manha pedi para me ligarem ao trabalho, a sorte é que desde a última quarta-feira que estava lá a nova colega que me ia substituir durante a licença da maternidade, e nao houve muita espiga, além de que pelo andar da carruagem eu contava ter alta na terça-feira. Pois, eu contava, mas... contava mal. Na noite de segunda para terça esqueceram-se de substituir o soro vazio e o resultado foi...cólica. Claro que alta nem vê-la. Na terça feira 22 de Janeiro por volta das 17h00 nova crise aguda, desta vez o médico de serviço alterou a medicaçao visto eu estar a piorar. Nesta altura já nem sabia de que terra era.

O pior veio na quarta-feira 23 de Janeiro. Novamente por volta das 17h00 (maldita a hora) outra crise aguda, mais medicamento SOS juntamente com Benuron e um outro que nao me lembro o nome... tudo para a veia (tiveram de espetar a agulha do soro no outro braço porque aquela veia, coitada, já estava marterizada). A novidade desta vez é que apesar de todos os medicamentos as dores teimavam em nao passar... amenizaram um pouco mas voltavam de cada vez com mais força. Foram-me dando os medicamentos possíveis, mas as crises vinham de três em três horas, tive inclusive de passar toda a noite ligada à maquina do CTG. Foi horrivel e um desespero.

Quinta-feira 24 de Janeiro - 09h00 - Já de volta ao quarto depois de ter passado a noite no CTG, vieram os médicos fazer a ronda:

Médico: entao? como se sente?

Eu:(a chorar) mal, tou farta de dores

Médico: Pois, assim nao a posso mandar para casa.

Eu: Pois, mas assim também nao posso estar aqui se aqui tenho as dores na mesma. Nao seria melhor fazer uma eco-renal a ver o estado da situaçao?

Médico: Se fizermos uma eco a unica coisa que vamos ver é a bebé, nao vamos conseguir ver o rim...

Eu: Nao faz mal, sempre fico mais animada.

Médico: Só tirando a menina para fora mas você ainda está de 37 semanas nao pode ser.

Eu: Sr. Dr. o que nao pode ser é eu andar assim, já nao aguento, estas dores sao desumanas. Sao medicamentos atrás de medicamentos, e agora nem fazem efeito. Tudo isto nao pode ser bom nem para mim e nem para a menina, eu nao agueeeentooooo. Podíamos tirar a menina, ela tem 37 semanas mas já está bem gordinha vê-ja lá as ecografias...

Ele virou costas e saiu do quarto sem dizer mais palavra, eu desesperada liguei ao papá Pratas a chorar desalmadamente e a desabafar que nem tao cedo ia sair do hospital e nem tao cedo me iam passar aquelas dores terriveis. Nisto entra o médico no quarto com uma enfermeira e diz: "esta menina é para fazer induçao ao parto" ....PLIM (desliguei o telefone ao papá Pratas). Eu nem queria acreditar, Deus (e o médico) tinha ouvido as minhas preces.

E pronto lá fui eu para um quarto onde estavam as grávidas prestes a dar à luz, deram-me um comprimido para fazer a induçao ao parto e lá fiquei à espera que a Florzinha decidisse sair. A verdade é que até às 17h00 nem sinal da Florzinha querer sair cá para fora, as contracçoes eram fraquiiiinhas e nem sinal de qualquer dilataçao. Posto isto o médico disse: "preparem esta menina vai fazer cesariana", ao ouvir isto ia caindo da cama abaixo.... uuuuiii, tinha de avisar o papá Pratas que tinha ido levar os meus pais a casa...mas cadé o telelé? tinham-me confiscado o telelé.... ai ai ai. As enfermeiras já me estavam a desligar fios, a tirar o soro, etc e eu sem forma de avisar o papá Pratas.

17h30 - Lá me levaram para a sala de parto. Credo, foi tudo tao derrepente. Na ausência do papá Pratas eu só dizia "aiiii nao se esqueçam da mala das roupinhas" e "há possibilidade de fazer uma chamadinha pequenina?", claro que ninguém me dava atençao e continuavam a empurrar a cama em direcçao à sala de partos. Antes de entrar as enfermeiras que iam assistir o Sr. Dr. na cesariana vieram falar comigo um bocadinho e eu vai de bombardeá-las com perguntas. Depois foi a vez de elas me fazerem uma pergunta a mim: "quer anestesia geral ou quer ver a bebé a nascer?", ui eu nem pensei duas vezes, disse logo que queria ver e de preferência nem a queria perder de vista para nao a trocarem (é meio estúpido pensar nisso mas axo que esse pensamento toma conta de 99,9% das grávidas nem que seja uma vez). Seguimos para a sala de parto e nem sinal do, desaparecido em combate, papá Pratas.

Fiquei deslumbrada com a sala de partos do HSB. Linda mesmo, nada a ver com as que via na televisao. Enoooooorme, com tudo do mais moderno possível e as paredes... pintadas a vermelho, é verdade, e acreditem ou nao transformava aquela sala num ambiente muito acolhedor (se calhar porque eu tb já estava farta de tanto branco de hospital toda a semana). Parecia que tinha entrado noutro mundo (e na verdade até tinha).

Levei a anestesia que me doeu para caraças e depois deitaram-me prenderam-me os braços à cama tal e qual uma criminosa armada em Cristo Rei de braços abertos (ja vao perceber porquê)). Surpresa das surpresas foi quando o médico me começou a fazer a cesariana eu sentia como que uns alfinetes a espetarem-se na barriga e quando ele começa a cortar eu começao ai,ai,ai,ai. Ficámos todos em pânico e ele: "mas você já nao devia estara a sentir isto" e eu:"mas sinto, mas sinto" mas passado uns segundos já nao sentia nada e lá se deu o inicio à operaçao.

Quem disse que a cesariana nao custa nada???? pergunto eu agora, pois, quem disse isso está enganado e nunca fez nenhuma. Na realidade a dor no parto é realmente nula, mas ao tirarem a bebé parecia que me estavam a arrancar as entranhas. Nao sentia dor, mas sentia o restante processo todo e é simplesmente uma afliçao sem explicaçao. Daí os braços estarem presos pq se assim nao fosse eu tinha-me levantado naquele momento ou pelo menos esbracejado, definitivamente temos de estar presas. Tinha obviamente uma coberta a tapar a zona da barriga e nao via nada por isso às 18h06 uma enfermeira disse ao médico: "levante-a para a mae ver"... e foi lindo, lá estava a minha Flor a esbracejar no ar como se estivesse a nadar, com os olhos muito arregalados a olhar para todos os lados como quem diz: "quem tá aí?" "quem foi que me acordou?", "que é isto?", e trouxeram-na ao pé de mim para eu dar uma beijoca. Mas eu nao queria uma, queria muitas beijocas à milha linda menina mas levaram-na para fora da sala.

Médico: Mas que linda menina

Eu: Aaah diz isso a todas

Enfermeira: por acaso nao, a menina é realmente muito linda

Eu: mas nao chora

Enfermeira: Já tá lá dentro a chorar nao se preocupe

Entra na sala uma outra enfermeira que diz: "tem 2,890kg" e o médico virou-se para mim e disse: "ai que boa, afinal a Sílvia nao me mentiu".

Costura feita e fralda posta (sim,sim, tb tive direito a fralda) levaram-me ao pé da minha linda menina e eu fiquei babadaaaaaa. Por esta altura andavam todas à procura do papá Pratas que tenho a impressao que ainda andava à mi nha procura no quarto da grávidas prestes a dar à luz.

Papá encontrado lá veio ele ter com as suas princesas tal e qual um rebuçado. É verdade vinha todo embrulhado com bata branca, pantufas nos sapatos e tb uma touca branca que as enfermeiras o fizeram vestir para poder entrar...kakakakakaka.

E assim ficámos lá os dois a contemplar a nossa piolha já toda vestinha com a sua roupinha escolhida para a ocasiao. Começou logo a mamar como se tivesse tido um curso intensivo, e tao desperta que ela estava....

O pior foram os dias que se seguiram (apesar de estarem uns dias fantásticos dignos de Verao). A recuperaçao de uma cesariana custa imenso e para piorar eu tinha ataques de tosse que me faziam fazer força exactamente na zona da costura. Havia vezes que eu pensava que desmaiava com as dores. Mal me podia mexer, enquanto as outras maes que tinham tido parto normal andavam lá frescas e fofas. Naquela altura eu já estava farta de dores, mas tb custou muito, principalmente porque sentia que nao conseguia aproveitar tao bem a Flor como as outras maes as suas princesas (naquele quarto eram só meninas). Sem exagero eu levava 20 minutos a fazer o que as outras faziam em 5 minutos.

Quero acrescentar que a ala nova do HSB onde as maezinhas ficam com os seu bebés depois do parto é fantástica. Os quartos sao enormes (tao grandes que levam 4 novas maezinhas e ainda sobra muito espaço) têm casas banho individuais por quarto e excelentes condiçoes.

E pronto, assim nasceu a mais bela FLOR.

NASCEU A FLOR

Queridas amigas, passei só para vos dizer que já nasceu a Flor no dia 24 de Janeiro às 37 semanas de gestação, com 2,890 kg, 44,90 cm e um indice de Apgar de 10 ao 1º minuto e 10 ao 5º minuto. O parto foi cesariana. Tivemos de tirá-la para fora antes do tempo porque estavamos a sofrer muito com as cólicas renais.

Desculpem a minha ausência, mas estive internanda com cólicas renais quase uma semana até se decidir fazer a cesariana no dia 24. Entretanto a recuperaçao foi morosa e eu nao tenho computador em casa o que tornou complicado dar-vos a noticia.

Hoje vim ao computador do meu sobrinho num instante só para vos dar a noticia e mandar beijinhos meus e da Flor que é LLLLIIIIIIINNNDAAAAAAA (algo me diz que há muito rapazito que vai babar pela minha filhota daqui as uns anitos, aaaiiiii tou feita ao bife).

Tenho taaaaanto para vos contar.

Um beijinho também às novas amigas que visitaram o meu blogue e deixaram comentários. Em breve volto em força e com tempo e com fotos para vos pôr a par das novidades (peripécias, dificuldades, alegrias...) e ver os vossos blogues.... ai tenho tantas saudades.

Mais uma vez obrigada por se manterem desse lado e um beijinho muito grande meu e da bela e linda Flor (talvez a mais linda do mundo).